Como fazerConstrução e Reforma

Etapas de uma obra: como planejar do zero

Conhecer as etapas de uma obra é um passo fundamental para quem planeja construir ou reformar.

Conhecer as etapas de uma obra é um passo fundamental para quem planeja construir ou reformar. Só assim é possível saber exatamente em que momento entra o piso, o quebra-quebra de paredes e as instalações elétricas, por exemplo.

Ter essas etapas bem claras também ajuda no planejamento financeiro da reforma. Além de saber exatamente quanto cada uma delas vai custar, você não precisa antecipar os gastos desnecessariamente.

Por exemplo, se iluminação e decoração entram apenas no final da obra, você pode deixar para comprar itens como tapetes, luminárias e móveis mais para frente. Vai pesar menos no seu bolso e evitar que as coisas fiquem entulhadas – e danifiquem – no meio da reforma.

Antes de entrarmos nas etapas da obra, é preciso entender que profissionais estarão ao seu lado, para ajudar você a organizar e baratear os custos da reforma.

Antes de prosseguir com a leitura, assista a este vídeo especial feito pelo canal Leroy Merlin Brasil ensinando o passo a passo das etapas de uma obra:

Arquiteto ou engenheiro civil?

Qualquer obra que tenha uma intervenção que necessite de uma responsabilidade técnica, obrigatoriamente, precisa ter o acompanhamento de um arquiteto ou engenheiro civil.

E na hora de escolher qual é o melhor profissional para a sua obra ou reforma, bate a dúvida sobre o papel de cada um.

As responsabilidades do engenheiro civil

O engenheiro civil acompanha obras em que mudanças na fundação e estrutura precisam ser feitas. “No caso de uma casa nova, por exemplo, o acompanhamento de um engenheiro civil se dá na execução das fundações, pilares e vigas que sustentarão a casa, bem como o dimensionamento dela”, explica a engenheira civil Susan Smykaluk, do @sulestudio, escritório de arquitetura, engenharia e design.

As responsabilidades do arquiteto

Já o arquiteto trabalha no projeto e auxilia nas melhores escolhas para o cliente, como aproveitamento do espaço, escolha de pisos, revestimentos, marcenaria, louças e metais, iluminação, eletrodomésticos, entre outros.

É comum as pessoas começarem uma reforma sem o acompanhamento deste profissional por conta do investimento a ser feito.

“Contratar um arquiteto pode parecer um custo alto, mas é ele quem vai ajudar você a economizar dinheiro. Procure profissionais que trabalham com o estilo que você gosta, para alinhar gosto e bolso”, recomenda a arquiteta Alice Lima, do @sulestudio.

Poupar as energias para as decisões que realmente dependem de você também é algo importante a considerar. O arquiteto é responsável por todo o levantamento de custos, todos detalhados em uma planilha de orçamento de obra, comparação de preços, contratação dos profissionais, fiscalização, controle de prazos, entre outras demandas.

Ambos os profissionais têm a responsabilidade de manter os padrões de qualidade e segurança de uma obra. Dependendo do orçamento, é interessante manter os dois profissionais.

Hora de montar o projeto

É muito difícil planejar uma obra ou reforma sem um projeto em mãos. Colocar no papel o que vai ser feito, qual a verba disponível, quem serão os profissionais envolvidos e quanto tempo vai durar é fundamental para não extrapolar o orçamento e evitar gastos extras.

O projeto é feito pelo arquiteto, e é esse profissional que vai tomar, junto com você, as principais decisões sobre a obra. Nesta etapa você pode optar, por exemplo, por um projeto mais sustentável, com reaproveitamento de água, materiais, acabamentos e valorização de luz solar.

A obra precisa ser legalizada

Além do projeto, ao iniciar uma obra, alguns documentos serão requisitados. Caso o imóvel seja uma casa, será preciso consultar o Código de Obras para ver se o tipo de intervenção a ser feita precisará de aprovação da Prefeitura.

Caso a obra seja realizada em condomínio, o procedimento é um pouco diferente. Mudanças de estrutura como alvenaria, revestimentos, hidráulica e elétrica precisam, de acordo com as normas vigentes, de um responsável técnico.

Ele pode ser um arquiteto, que emitirá o RRT (Registro de Responsabilidade Técnica), emitido pelo CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo), ou o engenheiro civil, que emitirá a ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), acompanhada de um plano de reforma.

No caso de pintura e decoração, não há necessidade de um responsável técnico específico.

Em alguns casos, o síndico pode pedir um memorial descritivo da obra. Esse documento deve trazer todas as atividades da obra, como troca de piso, demolição de parede, instalação de ar-condicionado etc.

Depois de batido o martelo sobre o custo da obra, do que vai ser feito, planejamento das compras, contratação de profissionais, estabelecimento de prazos, legalização de documento, vamos às etapas da sua obra!

Etapa 1: Demolição

Aqui começa o temido quebra-quebra! São removidas as paredes que foram alteradas no projeto (etapa que exige acompanhamento do profissional), os revestimentos antigos e outros itens que não serão utilizados.

Lembre-se de proteger o que será reaproveitado. Os itens devem ser removidos e guardados em outro local para evitar que sejam danificados durante a obra.

Aqui começa o temido quebra-quebra! São removidas as paredes que foram alteradas no projeto (etapa que exige acompanhamento do profissional), os revestimentos antigos e outros itens que não serão utilizados.

Nesta etapa é obrigatória a contratação de caçambas. O descarte dos entulhos precisa ser feito de forma responsável.

Etapa 2: Passagem de pontos de hidráulica e elétrica

Nesse momento são feitos os cortes nas paredes (traças) para a passagem de pontos hidráulicos e elétricos.

Na parte hidráulica entram as novas tubulações para o chuveiro, pia e torneiras.

Na parte elétrica, são passados os conduítes para os pontos de tomada, luz, interruptor e ar-condicionado. Ainda não é hora de instalar nada!

Etapa 3: Impermeabilização

A etapa de impermeabilização, se não for executada corretamente, pode acarretar na maior dor de cabeça da obra. Por exemplo, se houver infiltração no piso, a umidade pode molhar a parede e danificar o rodapé, marcenaria e pintura.

A etapa de impermeabilização, se não for executada corretamente, pode acarretar na maior dor de cabeça da obra.

Os danos de uma impermeabilização mal feita são grandes e custosos, já que você precisará quebrar os revestimentos para retirá-los.

Resumindo, terá que refazer todo o trabalho. O mesmo vale para calhas e rufos de telhado. Se transbordarem, danificam muita coisa.

Embora a impermeabilização preventiva, aquela feita no momento da construção, consuma cerca de 1 a 3% do valor da obra, aqui vale o velho ditado: é melhor prevenir do que remediar.

Clique e confira como fazer uma boa impermeabilização.

Etapa 4: Emboço de paredes e regularização dos pisos

Após fazer os cortes de parede, necessários para a etapa anterior, é hora de tampar os pontos e deixar as paredes alisadas e com uma pré-pintura para a próxima etapa.

Esse é o momento de conferir o esquadro das paredes, pois se estiverem tortas não permitem que portas, móveis e azulejos sejam instalados da forma correta. O mesmo vale para os pisos: se o contrapiso estiver com a caída errada, vai empoçar água nos banheiros e lavanderias.

Etapa 5: Colocação de janelas

Nessa fase, colocamos as janelas para dar o arremate nas paredes e azulejos que virão na sequência.

Nessa fase, colocamos as janelas para dar o arremate nas paredes e azulejos que virão na sequência. Nessa etapa podem entrar as portas internas também. De preferência, deixando a do banheiro para ser colocada depois que o azulejo estiver instalado.

Etapa 6: Colocação dos revestimentos de parede

Aqui cabe uma atenção. É a hora de colocar os azulejos e pisos necessários, antes de fechar o forro.

Aqui cabe uma atenção. É a hora de colocar os azulejos e pisos necessários, antes de fechar o forro. Para isso, escolha a argamassa e os rejuntes adequados à instalação. Existem vários tipos (áreas molhadas, piso sobre piso, junta retificada ou bold, entre outras especificações). Pergunte ao seu instalador quais ferramentas ele precisa, compre os separadores adequados ao tamanho da junta indicada pelo fabricante e não se esqueça de conferir a paginação com o arquiteto na obra. Com isso tudo definido, pode começar. Após tudo instalado com argamassa e seco, o rejunte pode ser aplicado e então, para finalizar, é feita uma limpeza do revestimento para remover o excesso de massa.

Etapa 7: Forro

Próxima etapa: instalação do forro. O material pode ser de PVC, madeira ou gesso. Depende do que for especificado pelo arquiteto. O forro faz o arremate e acabamento de teto, iluminação e cortinas. É necessário também um projeto com localização dos pontos de luminárias e detalhamento dos cantos, tabicas e molduras.

Etapa 8: Instalação de piso

Hora de colocar o piso cerâmico. É essencial escolher um revestimento com boa qualidade, e que atenda à sua necessidade. Fatores como ter crianças ou pet em casa, ambiente externo ou interno e localização do imóvel influenciam na escolha do revestimento.

Alguns são mais fáceis de limpar, outros proporcionam maior conforto térmico. No caso da área externa, que recebe chuva ou água da rega das plantas, vale escolher um piso mais poroso, que não escorrega tanto.

Se o piso escolhido for vinílico, laminado ou madeira, não é a hora de instalá-los. Essa etapa virá no final. É essencial que eles fiquem em local protegido da obra para não serem riscados.

Hora de colocar o piso cerâmico. É essencial escolher um revestimento com boa qualidade, e que atenda à sua necessidade.

Etapa 9: Bancadas

Sejam de inox ou de pedra (granito ou cimento), as bancadas entram nesse momento. É essencial respeitar as medidas de projeto, principalmente a altura. Construir a bancada no tamanho correto pode evitar uma bela dor nas costas ao lavar a louça.

Sejam de inox ou de pedra (granito ou cimento), as bancadas entram nesse momento.

Etapa 10: Iluminação e acabamentos de hidráulica

Nesse momento, entram os itens mais delicados como iluminação, registros, vasos, sifões e pias. Essa etapa é feita antes da instalação da marcenaria, para garantir que os móveis planejados se encaixem perfeitamente.

Etapa 11: Pisos vinílicos e laminados

Chegou a hora de instalação desse tipo de piso mais delicado. Mesmo assim, é essencial protegê-los para não danificar, arranhar ou deixar marcas.

Chegou a hora de instalação desse tipo de piso mais delicado. Mesmo assim, é essencial protegê-los para não danificar, arranhar ou deixar marcas.

Etapa 12: Móveis planejados

Se essa for a sua opção, é nessa etapa da obra que ocorre a instalação dos móveis planejados.

Se essa for a sua opção, é nessa etapa da obra que ocorre a instalação dos móveis planejados. Eletrodomésticos de embutir e instalações elétricas que passam pelos móveis também são realizadas agora.

Etapa 13: Acabamentos finais

A primeira demão de tinta é dada antes das instalações finais de elétrica, colocação de espelhos de tomadas e interruptores, luminárias, rodapé, box de banheiro e finalização de rejuntes (como mencionado na parte de revestimentos). A última demão de tinta é dada após finalizadas todas as instalações. A partir daí, os últimos retoques de pintura ficam por conta dos reparos necessários com a chegada dos móveis e outros itens de decoração, já que sempre acontece de ter um lascado ou uma sujeirinha na parede após essa etapa.

Etapa 14: Limpeza

Por fim, mas não menos importante, chega a hora da limpeza antes da mudança. É importante limpar os itens de forma correta, tomando o cuidado para não riscar pisos, revestimentos e a marcenaria nova. Existem empresas especializadas nesse serviço, caso queira uma limpeza mais cuidadosa.

Por fim, mas não menos importante, chega a hora da limpeza antes da mudança.

Etapa 15: Decoração

Aquela obra de umas semanas atrás está, enfim, ficando com cara de casa. Nesta etapa entram os móveis avulsos, quadros, luminárias e objetos de decoração.

“Nunca se esqueça de adicionar plantas, combinar texturas diversas com cortinas, tapetes e almofadas, adicionar cheiros e toques especiais como velas, aromatizadores, entre outros, para dar aquela sensação de casa aconchegante”, indica a arquiteta Alice Lima.

Depois, é só curtir a casa nova!

Agora que você já conhece todas as etapas de uma obra, ficou animado em começar a sua?

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo