Aprenda a escolher o Cinturão de Segurança ideal para seu Trabalho

Publicidade Cupom Leroy Merlin

O sistema de proteção contra queda é formado por ancoragem, elemento de conexão e cinturão paraquedista:

Ancoragem é onde o sistema será fixado e pode ser constituído de um ponto ou de uma linha de vida fixa a este ponto.

Talabarte ou Trava queda é o elemento de ligação entre a ancoragem e o cinturão.

Cinturão paraquedista envolve o corpo do trabalhador de forma ergonômica e possui ponto para conexão ao sistema.

São muitos os tipos e modelos disponíveis, mas como escolher o equipamento apropriado?

O primeiro passo é conhecer o tipo de atividade que será desempenhado – Construção civil, telecomunicações, elétrica, montagens de estruturas, atividades de solda, poda de árvores, alpinismo industrial etc.

Após a identificação da atividade é necessário verificar as características desejadas para os equipamentos – Material, pontos de conexão, regulagens e proteções ergonômicas.

Os cinturões de segurança se diferenciam basicamente pelo tipo de matéria prima, as conexões, regulagens e almofadas:

Materiais

O material mais usado em cinturões de segurança é o** poliéster**, por ser um material confortável e resistente, mas outros materiais como Kevlar e poliéster com tratamento retardante a chamas, também são usados na fabricação de equipamentos de proteção contra quedas destinados a trabalhos de soldagem e manutenção elétrica. A escolha do material vai depender da proteção aos riscos que o serviço possuirá.

Pontos de conexão

Os chamados pontos de conexão são classificados em 3 tipos: ANCORAGEM, SUSPENSÃO e POSICIONAMENTO.

É importante frisar que para estar protegido contra queda o cinturão obrigatoriamente tem que estar conectado no ponto de ancoragem (identificado no equipamento pela letra A).

O ponto de posicionamento (P), localizado na cintura, é indicado para trabalhos estacionários. como trabalhos em postes onde coloca-se um talabarte de posicionamento para ter mais conforto durante o trabalho em altura ao ter as duas mãos livres para manusear as ferramentas, além de ser um limitador de distância.

Os pontos de** suspensão** (S) são indicados para resgate e espaço confinado. O espaço confinado é qualquer área não projetada para ocupação contínua, com meios limitados de entrada e saída, tais como: tanques, silos, galerias e tubulações.

As fivelas reguláveis e as proteções ergonômicas (apoio lombar e cocheiras) são itens que proporcionam mais conforto ao usuário.

Como vimos o sistema de proteção contra quedas é formado por outros itens além do Cinturão de Segurança, por esse motivo a NR-06 (norma regulamentadora n° 06) define equipamento de proteção contra queda como sendo EPI conjugado. Logo, não é permitido usar o cinturão de uma marca e o talabarte / trava queda de outra. Para garantir a proteção do usuário o cinto e o elemento de ligação precisam ser da mesma marca).

Os equipamentos de proteção contra queda possuem validade e devem ser descartados após reter uma queda com massa superior a 40kg ou apresentar sinais de deterioração ou desgastes.

Conclusão

Os trabalhos em altura são perigosos e devem ser evitados quando possível, mas se for realmente necessário é obrigatório o uso do equipamento de proteção contra queda. O equipamento escolhido deve estar de acordo com a sua atividade e deve ser ajustado de forma que fique bem firme ao corpo.

Ficou interessado? Conheça todos os modelos de cinturões de segurança da Carbografite e seus pontos de conexão

Publicidade Saldão Leroy Merlin

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo